Pra ver se cola.

12:54

Cola o teu desenho no meu
Pra ver se cola
Cola o meu retrato no teu
E me namora
Comigo nessa dança
Um sonho de criança
E o meu coração colado ao teu
Pra ver se cola.


[Pra ver se cola - cantada por Los Hermanos]


É que eles se encaixavam tão bem. Se você os conhecesse, diria que as almas foram moldadas juntas, e nesse dia fez um tempo bom.

- Onde você tanto guardava esse olhar de eucontemplotodososteusgestos? Como você conseguia disfarçar enquanto eu sentia teus olhos em mim? Você não piscava e eu te surpreendia me observar com esse canto de olho inocentemente distraído. Por onde a gente andava antes de ouvir aquela flauta tocar? Por que teu espanto ao me notar chorosa durante o espetáculo? Você me amou nessa hora, naquelas horas. Por que as meias luzes faziam teu cheiro me procurar? E como você conseguia fazer com que teu abraço voltasse pra casa comigo? Como você me desenha em teu sorriso? Não entendo agora porque teus sinais não chegavam até mim, e olha, você foi o primeiro a dançar naquela chuva. Quem te pediu pra tomar minha solidão assim?

- Moça, não te prometi amor. E se teu gostar pousou em mim, foi por mera distração, bem sei. Teu olhar em mim era feito de todos os olhares que você amou um dia. Não te ofereci céu, eu só tinha um teto escuro. Não, não disfarço que minhas noites eram minhas apenas por tê-la comigo. E como era bom... Sim, era bom. Receber a noite através da tua singeleza era como se você me devolvesse minha parte, como se você me devolvesse a mim.

- Reconhece então porquê não desviei naquela curva? E você ensaiava o violão tão irritantemente concentrado. Me ouvia te ouvir. Você errava tão lindo, sem querer. E como era engraçado te notar irritado. Tão meu você era... Me tinha sem nem saber. E quer saber? Não te explicaria o quanto era bom te ter em segredo.

- Não me assusta assim, por favor. Lembra os nossos primeiros encontros, um tanto tímidos. Só falávamos de música. Acho que nossa vitrola tocava bonito, assim. Hoje sinto falta das tuas críticas ao meu lado, saíam imprensadas com as minhas. De vez em quando o som tava muito alto, aquelas flautas. Lembra? Aí os lábios se moviam, talvez pedindo um beijo que não tinha voz. Não teve vez. Talvez se você tivesse olhado pra mim ao invés de disfarçar teu olhar no meio daquele chuvisco que começou a cair antes de irmos para casa. Não lembro de tanto ter desejado permanecer dentro do carro.

- Você teve ciúmes.

- Você teve ciúmes.

Risadas.

Silêncio.

- E disso tudo o que ficou? Outro conto? Mais um desencontro?

- É a história das coisas que ficam daquelas que não ficaram.

- Agora não sobra nada. Confesso, sim, ainda tê-lo em mim quando a flauta toca no meu som, quando aquelas vozes cantam. Lembro da atenção especial fazendo do mundo uma insignificância, lembro também dos meus desenganos. Quase não dói, e continua a ser doce.

- Teu desenho também já não sei se ainda cola no meu. Sabe quando puxa de vez? Arde na hora, e depois não gruda mais.

- E a foto?

- Vou guardá-la, pra dançar com os nossos sonhos em par.

You Might Also Like

27 comentários

  1. Que doçura... mesmo sem happy end!
    Você tem alma pura e sensível, Jaya... continue assim!!!

    Beijo...

    ResponderExcluir
  2. menina do céu.
    adoro essa música cantada por los hermanos eheheheh.

    e sobre a história... continuo achando q eles formam um belo par e que o desenho deles pode ainda colar um no outro.

    =*

    ResponderExcluir
  3. te linkei :D
    dps passo ake com mais calma
    =***

    ResponderExcluir
  4. ... e a fila anda!

    sorry, é que tô na fase da faxina amorosa e dela, só me restam lembranças - boas, é verdade.

    beijos daqui...

    ResponderExcluir
  5. É um texto lindo, apesar de triste. Não pude conter as lágrimas ao lê-lo, pois lembrei do meu amado e senti - mais forte - a saudade que está habitando meu peito. Ausência que gela. Frio que passa pela espinha. Coração que dói e lágrimas incessantes...

    ResponderExcluir
  6. Já conhecia o texto e o acho uma graça...

    Coisa mais linda que vc fez, guapa...

    =)

    Besos e obrigada pela visita lá na casa de praia...

    ResponderExcluir
  7. E a dança dos sonhos é linda demais...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. É um pouco triste, mas é tão lindo.
    Gostei muito, diz muita coisa.

    ótimos textos por aqui.

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Ah, dona Jaya,

    todas as vezes em que li (e reli) seu texto, fiquei com a cabeça cheia de pensamentos sobre o que não descola de um coração.
    É difícil dizer o que permanece depois que a "cola" sai; mais ainda saber se algo pode ser guardado, como a foto de alguém... mas é preciso esperança... e manter em algum lugar, mesmo que oculto, certa lembrança. Para não se esquecer o quanto é bom amar.

    De novo... mais uma vez... uma centena delas... P-A-R-A-B-É-N-S! Este texto é divino!

    E só para mostrar que li e captei a mensagem do comentário lá no Dominus (risos), digo que tratar algo como porcelana anda sendo mais fácil, para evitar que algo ainda mais frágil se machuque, rache , ou despedace... Infelizmente, o escritor não se separa do próprio coração para escrever. Mesmo quando quer falar de um belo dia de sol, pede sempre aos deuses que nuvens negras não estejam em seu íntimo, ou então não haverá azul celeste que salve seu texto.

    ...Vamos ver... caminhando por entre nuvens e ilusões... o que o amanhã pode trazer...


    Um cheiro pra ti, moça!


    P.S.: Estou seriamente pensando em trocar História por Direito. Acho que dá mais dinheiro e menos dor de cabeça... rs

    'Té mais, minha linda!

    ResponderExcluir
  10. Confesso: deu vontade de chorar, segredo..rs

    Me sinto assim, como no pos, ficou tudo guardado, e sem final feliz.

    Coisas da vida né? Coisas tristes da vida por assim dizer.

    Sem palavras cmo sempre, sem reação, postagem simplesmente linda! Música do LH, demais!

    beijoooo

    ResponderExcluir
  11. Que saudades de minha hermana de alma!!! Que bom ver que continua escrevendo, Jaya! Senti muita falta daqui, dessas palavras que amo e dessa amiga linda que ganhei!
    Espero recuperar o tempo perdido agora!
    Sabe que em dados momentos esse texto bem que me lembrou o encaixe que eu e o Cochise temos? =]

    Boa semana pra vc, coisa linda dos meus olhos!
    Senti sua falta!
    Beeeijo

    ResponderExcluir
  12. lindo..vc sempre tão doce com as palavras...mto lindo..e como eu não consigo roubo do lulu...

    mas qq dia vou tentar...talvez pq eu ainda não esteja pronta, não tenha experiência p/ falar assim tão bonito de amor..
    bjs..te dolo

    ResponderExcluir
  13. aff, vc tá sem inspiração mesmo, hein?! só postando textos que já foram postados no chá! sabe o que eu acho que vc precisa p/ animar? um template novo! hehehe! se quiser que eu faça um...
    beijos!

    ResponderExcluir
  14. Jaya,

    Recordo-me bem desse seu texto, que ele me inspirou, comecei a escrever algo, até que não terminei. Semanas depois abro meus rascunhos do blog e vejo se tem algo que eu possa aproveitar. E me deparo com aquele texto até então incabado. E fiz, já sem me preocupar se seria fiel ou não ao que você escreveu aqui. Nem sei se fui. Apenas deixei as idéias fluírem... O que sei disso tudo é que esse teu texto foi um dos que mais me marcou. Gostei demais, assim como gosto de tudo quanto você escreve. Te adoro demais, moça! E tô com saudade das suas chatices. Bjos!

    ResponderExcluir
  15. "São tão parecidos, parecem irmãos... quem sabe um dia não se casam."

    (Ciranda de Pedra, Lygia Fagundes Telles)

    ResponderExcluir
  16. ...é, Jaya querida. Às vezes não cola mais mesmo. E pronto. Mas o que mais admiro nos teus textos é que sempre há neles uma intimidade, uma leveza e um carinho intensos - que se confundem com o próprio amor. Por isso posso dizer que nos teus textos há sempre amor pulsando, realizado ou não, possível ou não. Mas nem todo amor precisa ser gasto, não é verdade? Quem sabe algum dia cole de vez??? Beijo pra ti.....

    ResponderExcluir
  17. Você escreve tão bem *-*
    bgs :*

    ResponderExcluir
  18. Nossa, rolou uma lagrima bem furtiva !

    LINDO !
    Quero um amoor !

    Deixa eu te explicar :
    6 de maio eh aniversario do Colégio aonde eu estudava e smp tem comemorações ! E reencontro dos amigos !

    Por isso tava contando.
    Uns posts abaixo tem mais q vc vai entender

    VOLTE SEMPRE !
    Bjs bjs !

    ResponderExcluir
  19. quantos sonhos guardo aqui... a maioria nem sei se compartilhei efetivamente com alguém, esse lance de sonhar é meio solitário, eu acho. mas quando sonha-se junto, meu Deus... faz-se tudo incrível...

    ao amor, ou à possibilidade dele, ái, como esse nosso olhar desviante avacalha! é como se fosse impossível encarar, assumir o interesse, botar a cara a tapa... como é difícil ter medo de errar assim...

    que outros amores vinguem! rs
    sôdades... rs

    ResponderExcluir
  20. Tem um mimo pra ti lá no P.S.

    Beijo gelado daqui :*

    ResponderExcluir
  21. nossa, muito bom teu blog, primeira vez q eu venho por aqui.. por indicação do blog da fernanda, o P.S
    ;)

    estou te add nos meus favoritos, me favorita ai tbm se possivel :D

    té mais grande bj

    ResponderExcluir
  22. Oi, Jaya! Tudo bem?

    Andando de blog em blog cheguei ao seu! E fiquei maravilhada por um texto tão lindo! Logo eu que adoro cenas romãnticas - mesmo sem final feliz! Como vc escreve bem, moça! Parabéns!

    Grande beijo,
    Mi

    ResponderExcluir
  23. Ola, achei seu blog pela net e fiquei encantada.
    Curioso como tem profundidade seu texto, fico imaginado como alguém escreve tão bem, colocando a alma no que faz.
    Parabéns pelo texto.
    ;)

    ResponderExcluir
  24. Oiê!

    "pra dançar com os nossos sonhos em par"...Perfeito!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  25. essa música me dá uma saudade...

    ResponderExcluir
  26. Olá! Adorei seu blog! Seus textos são muito bons. Vou aparecer aqui sempre. Aproveito pra convidar você pra me visitar. Vou adorar!!!

    http://caminhosdefelicidade.blogspot.com
    Beijos
    Deby

    ResponderExcluir