Recolhe todo o sentimento.

15:09

E bota no corpo uma outra vez.

[Todo o sentimento - Cristóvão Bastos/ Chico Buarque]

Basta um olhar diferente. Uma procura. Um carinho. Uma maneira de tratar. Um reparar no passar de mãos no cabelo. Uma saudade. Uma pirraça. Uma vontade exagerada de falar e querer ouvir do outro lado apenas aquela voz. Uma música. O nosso trecho. Uma fotografia. Uma vontade. Uma risada sem som. Uma necessidade. Um cheiro. Uma época. Um cuidado. Uma briga. Uma trégua. Uma certeza. E a dúvida de sempre.

Se houve final. Se começou outra vez. Ou se apenas se renova.

A verdade é que quando o pensamento não pára ao lado, e quando o prazo parece vencer, tudo só faz aumentar. O coração infla. Depois passa. Tudo some. Só que a mão de repente esfria sem motivos, e as coisas desandam outra vez, como se não existisse pausa.

Talvez entre nós ela não exista. O pra sempre acaba, e recomeça o tempo todo. Essa sensação de infinitude que complica e assusta, acalenta e tranqüiliza.

E o amor?

You Might Also Like

21 comentários

  1. vc quer saber qual onde fica o amor nessa história? bem... o amor é a cobaia...
    porque o amor é sempre vítima.
    mesmo invisível, ele existe. mesmo onde não é pra estar, ele está. e por isso ele se ferra heheh

    =*

    ResponderExcluir
  2. o amor? nao se tem na hora que se quer... ele vem do olhar. sabe ser o melhor na vida e pede bis, quando faz alguém feliz.


    Lindo, Lindo, Jaya...
    *-*
    deu ateh um aperto no peito.

    bom, sumimos juntas e reaparecemos juntas tmb. mas agr eu vou sumir de novo...

    :***

    ResponderExcluir
  3. Talvez se trate de um ciclo, Jaya, que anime a vida. Que combata fortemente a monotonia, o tédio. Uma hora estamos bem felizes. Outra tudo passa. Depois vem uma outra felicidade. E os sentimentos sempre oscilando.

    Acho que não existe mesmo pausa. E temos é que aprender a respirar enquanto o jogo continua. Se não o ônibus passa, e nós o perdemos. Perdemos o compasso da vida. Do amor também, claro.

    P.S.: Pedalar me fez muito bem. O vento batendo na cara e a companhia dos amigos ajudaram a minha concentração. Rs.

    ResponderExcluir
  4. ...talvez não reste espaço pra ele, o "amor", sempre a postos e prestes a nos fisgar quando menos esperamos, quando estivermos menos preparados pra nos defender... "A verdade é que quando o pensamento não pára ao lado, e quando o prazo parece vencer, tudo só faz aumentar. O coração infla. Depois passa. Tudo some. Só que a mão de repente esfria sem motivos, e as coisas desandam outra vez, como se não existisse pausa". Desculpa a paráfrase, mas é que achei esse parágrafo tudo - até já o copiei pra mim, com a tua licença, eu espero. Outra coisa: obrigado pelos elogios... tenho sentido uma conexão muito forte com o cazuza nos últimos dias. As palavras, os versos dele têm me dado uma certa fissura... e SUPER obrigado pelo apoio, preocupação e carinho das tuas palavras pra mim. Sei que essas coisas a gente não agradece, e sim sente e retribui, mas mesmo assim tive vontade de escrever - e retribuir... Eu tô tentando ficar bem agora, de verdade. Tá difícil, tô me esforçando, tentando me renovar, como cê disse. E não, infelizmente nada daquilo é analogia. Antes fosse... Um beijo pra ti...

    ResponderExcluir
  5. Ah, eu nem sei o que dizer! Talvez só dizer que concordo com cada coisa que disses-te seja pouco. Mas acho que vivemos tanto em conflito que nem sabemos se o que sentimos é amor ou paixão ou os dois juntos ou nada disso que imaginamos ser amor. E se vai e volta é porque nada morre de todo, algo sempre fica, para germinar e renascer.

    Mudando um pouquinho de assunto, obrigadão pelo comentário no poema lá no meu cantinho. Não sou muito romântica, mas amo belos poemas e todas as formas de romantismo que possam existir no mundo! :)

    Bjuss mil, Hermana!

    ResponderExcluir
  6. ahhh
    o amor aparece na hora certa, mesmo que machuque, o amor mesmo só faz bem...
    aproveita, pede bis :P
    ame ame e ameeee
    o pra sempre do verdadeiro amor existe ;)

    bjos Jaya :*

    ResponderExcluir
  7. Bom dia coisa fofa =D
    Pois é, se viu, eu e minhas músicas.. ausuasuahs às vezes eu uso nome de música sem nem perceber ;)

    Que bom que tu gostou do texto! As vezes eu jogo sujo, como hj, e escrevo demais.. kkk crueldade com vcs.. mas eu nao resisto.

    (obrigada pelo elogio menina, até passei a olhar minha foto com outros olhos)

    Olha, eu adoro Chico... achei tao bonito vc ter colocado Todo Sentimento... ficou suave sabia? Não sei, acho que combina contigo.
    E a melhor parte: "E o amor?"

    Se cuida Jayazinha!
    Um mega beijo

    ResponderExcluir
  8. Sinceramente, Jaya, não sei onde o amor fica nessa história toda, se é que ele fica em algum lugar. Se um dia eu descobrir, juro que te conto.

    Beeeeijo!

    ResponderExcluir
  9. Jaya, perdoe-me o tempo em que sumi, não estava conseguindo comentar em nenhum blog.

    O amor não necessita que nos importemos com ele. ele é imortal e se importa conosco todo o tempo. ele não dorme e nem precisa dormir....

    E ao invés de esperar você linkar meu blog como disse que iria fazer, eu vou te linkar primeiro...
    Huahuauaua

    Beejocas Mocinha =]

    ResponderExcluir
  10. Voltei para agradecer seu comentário, Jaya. Que bom que gostou do final do post!
    A idéia era fazer cada pessoa imaginar um final diferente para ele e deu tão certo que fez valer a pena escrever aquela pequena história.

    Bom, quanto a ser historiadora, já deu para perceber que a fixação por escrever me levou a este curso na faculdade. Amo História, amo escrever, tenho que te confessar! E tô batalhando, e muito, para tentar escrever bem. Um dia eu chego lá, tá?

    Tchauzinho e depois eu volto! :)

    ResponderExcluir
  11. Minha Jaya fofurinha de todas as fofuras!

    Tudo é tão intenso né? Esses dias estava vendo um programa de TV que comentavam que as pessoas acordam cedo,tomam cafe da manhã, leem o jornal, levam o filho a escola,trabalham,estudam e quando chega a noite pensam: Puxa,não rendi nada o dia inteiro,não fiz nada hoje.

    A gente está sempre a mil,às vezes nem dá tempo de viver como deveria ser vivido sentimentos tão lindos como o amor.

    Beijos minha linda :*

    ResponderExcluir
  12. isso é realmente lindo...

    gostei do teu blog

    ResponderExcluir
  13. o amor permance sempre q alguém tenta terminar com ele
    =D
    bjs
    ah, espero pelo seu post hj
    ahauahuahau

    ResponderExcluir
  14. O amor fica sempre por perto, Jaya! Esperando o seu momento! Às vezes, chega na hora errada. Às vezes, acerta!
    Bjooooooooooooooooo!!!!!!!

    ResponderExcluir
  15. O amor está no meio de tudo.
    Ótimo texto (como sempre).
    Bjinhos!

    ResponderExcluir
  16. O amor... sumiu! Ou fingiu ter desapareciddo... só para não se mostrar do jeito que é, amor.

    bjsssss

    ResponderExcluir
  17. O amor? O amor é uma piada. Nos prega peça constantemente. Ao mesmo tempo que nos deixa feliz, nas alturas, no gera medo e insegurança. Incertezas.
    Mas, apesar de, é bom demais viver amando, duvidando, questionando, brigando, fazendo pazes e se entregando. E se entregando de novo.

    ResponderExcluir
  18. Todos os caminhos têm um sonho
    Uma janela é prisioneira da luz
    Os caminhos que a chuva percorre são incertos
    Nos sonhos és brisa fresca que encanta e seduz


    Boa semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  19. claro q é!
    só pode ser!
    se não for, engana bem!

    ResponderExcluir
  20. O amor é o sentimento mais mutável que existe. É preciso ginga pra poder acompanhar. Porque agora ele é compreensivo, amanhã é possessivo, depois é indiferente, depois é cansado, mas não deixa de ser amor. E eu penso muito que pra saber lidar com isso é preciso saber costurar daqui, remendar de lá, aproveitar o que sobrou daqui, passar Mertiolate, assoprar e conversar muito.
    Amar é cuidar o tempo todo desse amor, sem descuidar... porque se a gente acha que não há mais amor, é porque o processo de reciclagem será muito mais complicado do que já é por natureza.

    :)

    ResponderExcluir
  21. fico em dúvida se devo comentar num post já tão comentado... mas talvez só deixar um bocado de palavra vc goste, não? eu gostaria, rs.

    bom, isso me faz lembrar de que nunca ninguém conseguiu explicar o amor satisfatóriamente, logo nunca sabemos o que é e o que deixou de ser. é um acabar e recomeçar tão intesno que a gente se perde mesmo, rs. e as duvidas... áh! as dúvidas são terríveis, mas necessárias...

    afinal, o que é o amor? um fogo que arde sem se ver? um contente descontente? cada um tem sua versão e a aflição de ter de identifica-lo... se é que me entende.

    beijos!!

    ResponderExcluir