Azul Clara.

18:15


Me veio como um pedaço solto de poesia que despenca ali, entre as pedras do Recife Antigo. Essa moça. As letras voaram disparadas até mim, e ficaram. Fincaram raízes com uma profundidade que eu pensava nem existir em palavras alheias. Era luz. É muita luz.

Clara sorri vida e se deixa escorrer com toda uma urgência peculiar para dentro de quem a recebe. Ela enxerga alma e se propõe a desatar qualquer nó esquecido. Eu era botão no dia em que a encontrei, e tão logo nos olhamos, tudo desabrochou. Para ela. Para mim. Flores, flores. Uma primavera infinita. Aprendemos a importância de regarmos nossos jardins. Renascer. Com letras, poesias, madrugadas, sinceridades. Clara me ensinou a receber. A doar. A espremer a beleza do agora e admirar des-me-di-da-men-te.

Clareana. Duas em uma. E mais eu, misturando. Batidas. Talvez por isso às vezes eu a queira morando em meus olhos, naqueles momentos onde coisas encantadas me tomam a visão. Para dividir o belo. Para entregar-lhe pedaços dos meus melhores jeitos de sentir. Para me espalhar, da mesma maneira como a poesia-vermelho-fogo dela chega morando em mim, a cada leitura. Palavras que escorrem como um gole de gim, possivelmente com (e)feitos deliciosos. Outras vezes, arisca, arrisca queimar.

Clara-como-a-luz-do-sol. Porque ela faz derreter qualquer um que se submeta a ser estrutura gelada, em seus dias de chama. A moça arde. Derruba retratos em branco. Tem mãos de aquarela. Sabe pintar amor em todas as paredes e colocar o excesso em envelope para ser recheio meu. Nosso.

Clara-passarinha. Sem horários, onde o tempo é sempre o quando. Uma loucura desenhada em nuvens. Uma intensidade sem morada. Um sotaque lindo. Gosto de estrela.

Uma das coisas mais lindas da minha vida, Clara é azul. Azul Clara.

Então, quando tocar uma música na tua porta, Clarinha, abre com teu melhor abraço. Já ensaiei o convite: vim para ouvir o mar ao teu lado.

Agora vai entregar ao mundo esse teumeu exagero. Todo esse nosso amor-demais. E um samba.

You Might Also Like

25 comentários

  1. Você é um presente.Dos bonitos.

    Eu te amo!

    ResponderExcluir
  2. uma seguestão: que termine com qualquer samba sobre a lua... quem sabe "são demais os perigos desta vida"?

    lindo texto!

    ResponderExcluir
  3. ..menina, e que presente, me emocionei!... Você, Jaya, é tantos arranjos, tantas palavras e tanta beleza! Nobre esse tal sentimento de amizade, que também me preenche, tenhos os meus e os amo assim, você traduziu com in-ten-si-da-de!!!

    Beijoo

    ResponderExcluir
  4. Que delícia essa sensação azul Clara.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  5. Sim, você sempre nos emociona de mais Jaya.!

    Beijoooos e ótima semana

    ResponderExcluir
  6. E o que samba toque na vida das duas,uma melodia eterna..
    lindo texto jaya.

    ResponderExcluir
  7. Adorei as palavras em destaque; muito criativo. Adorei o texto. Bem lírico, poético, espontâneo e azul!

    "Felicidade aqui
    Pode passar e ouvir
    E se ela for de samba
    Há de querer ficar (...)

    Olê, olê, olê, olá...
    Tem samba de sobra
    Quem sabe sambar,
    Que entre na roda,
    Que mostre o gingado,
    Mas muito cuidado:
    Não vale chorar..."


    ABRAÇOS!

    ResponderExcluir
  8. Sempre bom, ter essas pessoas que nos inspiram poesia ao redor. :)

    Beijos, Jaya linda. :*

    ResponderExcluir
  9. "Vim para ouvir o mar ao teu lado."
    Jaya,
    esse teu amor que me faz acreditar em sambas, em tatuagens na alma e em moças lindas como você.
    Sopra (se arder) tua vida e jamais abandone Clara.
    ClarAzul.

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Que presente lindo!
    A Clara deve estar agora mais iluminada ainda... muito lindo, Jaya!

    Obrigada pelo comentário mais fofo que vc deixou lá...
    ai, você sabe me colorir...
    você me faz feliz com essas carinhos em formato de palavra.

    um beijo!!

    ResponderExcluir
  11. Que delícia, Jaya!
    Uma das declarações mais lindas que já vi!
    Ler você é sentir poesia saindo pelos poros, minha linda!

    Um beijo e mil sorrisos!

    ResponderExcluir
  12. que inveja dessa moça tão doce que ganhou texto da Jaya;
    presentão.

    ResponderExcluir
  13. Me pareceu um morno canto em silêncio sustenido...

    Tens um lirismo peculiar, lirismo de quem descreve uma talhada de melancia sobre a mesa nua. "- Um dia desses vi sobre a mesa uma talhada de melancia. E, assim sobre a mesa nua, parecia o riso de um louco"...

    [Roubei essa imagem da Clarice, bati em tua porta e ta entreguei...]

    Brindemos às miudezas, brindemos com canetas!

    Beijo, sem etiqueta.

    ResponderExcluir
  14. huuuuuuuuuum

    seria mais bonito se fosse pra mim [inveja]

    hihihihihihihihihii


    tá, mentirinha, gostei eeee não to sumida, não,deixei um recado p ti jno texto anterior.
    eu acho.

    é.

    Flores ;*

    ResponderExcluir
  15. Mundo azul, como lindo! Pessoas azuis, raras. Onde foi que os(as) perdi? Às vezes me aparecem, mas fogem tão rápido, tlvz n sejam msm pra aprisionar. Ainda bem!

    Lindo

    Bjo.

    ResponderExcluir
  16. Canção do amor maior, sem dúvida.

    E É VOCÊ QUE ME DEIXA SEM PALAVRAS OK?

    ResponderExcluir
  17. Coisa linda, Jaya.
    Amor é bom demais. É bom ter alguéns pra amar. E alguéns como a Clara deve ser melhor ainda, hein? :)
    Lindo.

    E, obrigada pela compaixão. Támbém quis rir de mim e ter pena de mim qando soube que iria passar por isso. UHAUAHUAHAUH
    beijos.

    ResponderExcluir
  18. Você tá causando ciúmes nas pessoas, Nega!

    Claaaaaaara,
    Você é linda. =)

    Bejo!

    ResponderExcluir
  19. Que amizade bonita-de-doer;

    Tuas palavras soam tão sinceras, Jaya, que causam invejinha cá dentro, uma vontade de dizer também.


    Beijo bonita *:

    ResponderExcluir
  20. "Sabe pintar amor em todas as paredes, e colocar o excesso em envelope para ser recheio meu. Nosso."

    Lindo! E obrigada por tão belo comentário, você é uma fofa!

    Beijos pra ti, girassol!

    ResponderExcluir
  21. Pois me agradam teus espamos. ;)


    Beijo, Jaya.
    Saudadinha².

    ResponderExcluir
  22. Jaya, vc tem o dom da escrita...
    Lindas sempre suas palavras...
    É um prazer visitar seu blog...
    Bjsssssssss

    ResponderExcluir
  23. Tão bom quanto a música!

    Viva o azul.

    ResponderExcluir