O problema...

22:40

...é que eu te amo.
Não tenho dúvidas que eu queria estar mais perto.

[Nando Reis - Meu mundo ficaria completo (Com você)]

De uns dias pra cá, os ponteiros mal anunciam o meio-dia e eu já me apaixonei trinta e três vezes. Algo muito natural, tendo em vista o óbvio: te querer bem é fácil. Um deslize. É macio. E não duvido que o céu, ao me ver tão vermelha, fique todo encabulado e resolva amar também. Eu percebo. Enquanto olho pela janela, eu percebo. Percebo ainda quando as borboletas enfileiradas vêm morar em meu estômago e eu, distraidamente, começo a gostar.

Às vezes eu não preciso de motivos muito lindos para te trazer para mim. Às vezes basta dar risada sozinha pela lembrança de uma bobagem que você disse na noite passada. Bastam uns primeiros motivos. Ou a cena de te ter ao meu lado sem me ver. Às vezes, também, é tudo exagerado demais. Eu, jogada aos teus pés com mil rosas roubadas. O que justifica? Essas coisas por aqui, todas cheias. Tá tudo transbordando. Ali, embaixo da cama; nas estrelas abertas do mural branco de amores; na rachadura do vidrinho da janela; no teto; entre os lençóis e o edredon que me aquecem, e principalmente, dentro do meu travesseiro. Ninguém vê. Eu sinto.

É o excesso. É um espanto. Um susto. Porque, para mim, o problema é a junção de todas essas pequenezas desarrazoadas. O problema é que, eu mal acordo, e já lavo o rosto com um sonho. O problema é meu corpo teimar em soluçar no teu abraço. O problema é que eu esteja tão assim, perdida em você. É querer te levar para um canto azul, todinho azul. É tocar minha boca com um guardanapo e notá-lo ainda mais leve depois de ter amparado o eco distraído do meu riso que fala de você o tempo inteiro. O problema é querer sentar ao teu lado, muda, beijar teu ombro e logo em seguida me aninhar nele, ao mesmo tempo em que encaixo minha mão à tua e me invada uma vontade boba de ser feliz. De ser muito feliz. O problema é que eu resolva te levar para as estrelas. Ou que você pense muito em mim. O problema é que a gente passe a saber qual parte de nós dois nos tem em maior quantidade. O grande problema é acabarmos descobrindo que são todas.

O problema também pode ser que você acabe gostando do meu riso fácil. Ou do meu rosto sério. O problema é que todos os teus melhores sorrisos podem vir a ser meus. O problema é o teu gesto mudo que esconde os dentes, fazendo formar aquelas ruguinhas no canto da tua boca. O problema é teu cheiro que já aprendeu a vir embora comigo. Tuas mãos. Teu caminhar. O problema são teus olhos claros que me moveram sem me abrir. E a minha mania de quebrar bolachas dentro do iogurte de morango para comer lendo poesia. O problema é você achar isso bizarro. É você com uma coca-cola e eu com um suco de maracujá. O problema são as manias, e meu gosto pela rotina. O problema é que eu não vou mudar. Nem você. O sorvete ainda é de cajá, a pizza de atum e o sanduíche tem que vir com frango, porque eu não gosto mesmo de hambúrguer. O problema são todas essas bobagens. E as coisas sérias também.

O problema mesmo é gostarmos pra caramba um do outro. É fazer um carinho em tua nuca e, uma vez estando ali, não saber/querer mais voltar. É pensar em te ver cochilando no sofá e te beijar a testa logo após cobrir teu corpo com uma manta macia. O problema é o aquecimento global dar o que falar, e eu só pensar em te escrever textos como esse, a vida inteira. O problema é você, que tem muito a cara de ser para sempre o meu benzinho.

O problema, ainda, é essa vontade que bate de vez em quando, de querer nossos sapatos envelhecendo juntos. O problema é que cheguemos ao ponto de compreendermos todos os nossos atos antes mesmo que ousemos fazê-los. O problema é que tudo pareça estupidamente justo. Deliciosamente genuíno. O problema é não perdermos nossos endereços. É descobrirmos a variedade que podemos ser, e não nos desvincularmos da nossa unidade. O problema é a morte instantânea de todas as pessoas ao redor a cada vez que você aparecer pra mim. O problema talvez seja encontrar um cílio teu dentro do meu livro preferido, ou o desejo de sujar a ponta do teu nariz com um pouco de cobertura. É gostar de te irritar. O problema é você esquecer teus olhos em cima dos meus e que resolva cuidar de tudo que é teu, em mim.

O problema é a cidade se calar. É a gente começar a rir de coisas que ninguém mais entende. O problema é a gente desistir de dificultar tudo. Querer se livrar das atitudes psicopatas que temos para com o nosso amor. O problema é a vontade insana de querer dilacerar esse sentimento o tempo inteiro. O problema maior é que a gente já sabe que ele é imune. O problema é a gente entender que pode, inclusive, se apaixonar a qualquer tempo, mas sabermos que o que temos é maior. Um bem maior. O problema é que não vamos fugir. O problema é que você seja mesmo tudo aquilo que me faltava, e acabemos, definitivamente, construindo um novo planeta onde saibamos caber. O problema é que resolvamos, num fim de semana qualquer, passar as horas inteiras trancados no apartamento, vivendo de amor-filmes-poesia-pipoca-pirraças-e-beijos, e esqueçamos o mundo lá fora. O problema é você me ver passar as mãos nos cabelos e notar que, mais que uma mania, esse gesto já decifra o quanto já sou de você. O quanto você é de mim. O problema é todo esse sentimento louco e improvável. É essa cadência bonita das letras que nos escrevem.

O problema pode ser eu gostando do engarrafamento e até pedir maior demora, porque com você ao lado o fuso é sempre outro. O problema é tudo acabar dando certo. O problema é a gente acreditar demais um no outro. O problema é o telefone tocar e o coração ir para a beira do penhasco. O problema é ouvir teu nome em outras bocas e pensar que a única imagem que cabe nele é a tua. O problema é o você e eu, a fusão. É minha vontade de mordiscar teus lábios. É você vermelho diante de minhas declarações atrevidas. O problema é que eu cuide do que é meu, em você. O problema é que todas as horas sejam certas demais. O problema é sempre nos inaugurarmos. É te olhar e pensar: eu escolhi você. E que você acabe me escolhendo também. O problema é te ver novamente, te pesquisar, e descobrir que, se um dia o amor resolvesse observar, olharia desse nosso jeito. O maior problema de todos, é que, só te ver, eu penso em trocar a minha TV num jeito de te levar a qualquer lugar que você queira. E daí?

É por isso que, às vezes... Às vezes eu nem preciso de uma poesia para lembrar de você. Às vezes é só o baixar das minhas pálpebras, todo esse som mudo das pestanas, e os tais dos probleminhas. [E que eles não tenham solução].


__________________________

Escrito depois de ler um texto lindo de um blog que não existe mais nas internetes.

You Might Also Like

50 comentários

  1. Isso tudo é amor,e tem coisa mais linda nesse mundo?

    ResponderExcluir
  2. o problema é vir aqui e não conseguir mais sair.
    Vc abre as portas, escancara todas as janelas...
    Muito amor para você, Jaya!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. e qdo os problemas são a solução?!

    pra variar, eu nunca sei oq comentar diante de um belo texto. mas li, e amei!
    =*

    ResponderExcluir
  4. Difícil encontrar palavras diante de teu texto/poesia.

    Belo! Sempre!

    Beijos Jaya!
    Te adoro!

    ResponderExcluir
  5. Talvez e só talvez eu esteja muito encrencada! Preciso encontrar você.

    E talvez, esse foi um dos mais lindos que já li de você, se me permite dizer. Tá junto com "Eu, você e a praça" que nunca vai deixar de ser meeeu! =)

    Amo.

    ResponderExcluir
  6. "dôce" eu nem vou falar nada tá!?

    leia a letra dessa musica: mistério stereo - curumin (depois ouça)

    é a minha resposta ao teu escrito.

    ps.: eu tava com saudade desse seu texto - tãohumanoqueeusempremeachonele.

    bêjo nega. um estralado em cada bochecha sua.

    ResponderExcluir
  7. "Juntos viveríamos por mil anos, com você meu mundo ficaria completo..."

    Admito que apareceu um bobo sorriso largo por aqui e algumas lágrimas discretas caíram...

    Lindo, moça!
    Beijão, Jayaammm!

    ResponderExcluir
  8. Que saudade que tenho de quando eu me sentia bem assim - borboletas desorganizadas fazendo avoroço no meu estômago.

    O teu comentário lá no blog me arrancou um sorriso largo, obrigada Jaya.

    Um beijo pra você.

    ResponderExcluir
  9. Poxa, quanto talento! Que texto bonito! E tem umas expressões inconfundíveis. Marca registrada. Gostei demais!

    ResponderExcluir
  10. não haverá problema nenhum quando a entrega é total.

    ResponderExcluir
  11. O problema é não ter problema no mundo quando estamos assim. E sempre deixarmos o "verão pra mais tarde".

    Bjo Jaya.

    Obrigado pelo comentário. Adorei.

    ResponderExcluir
  12. Delícia mesmo é quando esse amor bobo invade a gente, as borboletas fazem morada aqui dentro e a gente se perde dentro do outro.

    Ai Jaya, que coração é esse hein?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. feliz pelos teus problemas.
    te sinto feliz por inteira e isso muito me agrada..muito mesmo.Eu sabia que ía dar certo.acredito naquilo que me passou, qnd nem me falou mas eu já desconfiei o que fosse[via msn].E te mandei bons ventos.deu certo..

    Jaya, lindo ano novo, lindo fim de ano.

    Flores.

    ResponderExcluir
  14. e sou... não sei como encontrei o Líricas, suspeito que através do "coisas do chão" (?!) vc falou da lua em post anterior, percebí que estávamos debaixo do mesmo céu, rs.

    Lindo o derrame dos teus textos.

    beijokas

    ResponderExcluir
  15. Minha Jaya linda, como vc tá?
    Ah, parabéns atrasado-e-sincero-porque-vem-de-vc pode, viu?
    Eu tô bem, naquela medida do possível.
    Mas a verdade é que ninguém quer ficar mal pra vida inteira. Então vou levando.
    Quanto à pessoa ridícula, nem quero mencionar mais, pra não atrair coisa ruim.
    Que só nos venham coisas boas, agora e sempre.
    E me perdoa a distância. Tô evitando mesmo ler alguns textos, principalmente os teus que são tão lindos. Me dói ainda certos sentimentos.
    Saudade, flor!
    Vamos aparecer, né?
    Beijo, beijo!

    ResponderExcluir
  16. Digo um viva a esses problemõõõõões!


    E eu sei do sorvete de cajá porque você e o Lipe sempre falam desse tal sorvete de cajá que nem em Santos e nem em São Paulo eu encontro e por isso tou até aguada até aguada!

    Um beijo no seu pé de Limão!

    ResponderExcluir
  17. Tua volta sempre é assim: absurdamente intensa. Não nos cabe, e nos cala. Nos empurra, e nos alivia. Nos dói, e é tão poético. É uma coisa descabida, isso sim.

    ResponderExcluir
  18. Amor é um problema para não ser resolvido...

    é incrivel como tudo que faço vejo ela sorrindo, chorando, cantando, brincando, vejo tudo. Tudo ela, ela em tudo. terminei de ler com um sorriso bobo e um olhar molhado.

    Lindo Texto Moça!!
    Grande Abraço!!

    ResponderExcluir
  19. Ah, claro bonitona, eu me mato de procurar o sorvete e quando acho não tomo nem uma gota e você toma tudo?
    de jeito nenhum U_U
    tomo tudo e se for ruim, você me paga!

    um beijo!

    ResponderExcluir
  20. Jaya,

    é como se afogar em um afago por dentro, mesmo, sabe?

    Aquilo que há de incontido, que não é nem apreciável, que escapa dos dedos como gota de azeite. Por isso hoje eu não te li... Fiz mais:

    ]...[

    Emoção única... emoção única de escorrer de dedos rumo aos infinitos fins de mim, derradeiros sopros de fé d’algo. Senti.

    Incoerente?

    RS.

    Com o coração célere é só ele próprio que fala, perdoa?

    Um beijo é teu, esmerilado pela 'distância'...

    PauloCalvet =]

    ResponderExcluir
  21. Jaya,
    O problema é você voltar assim moça.
    Com um texto onde nenhum problema cabe solução, rss.
    e aí eu..
    mergulho nas profundezas como mortalha de meus sonhos feitos de papel, de textos e de letras. Bem no fundo, retorno à essência da natureza, de ser tudo e não ser apenas, um pedaço deste mundo. Um pedaço de mim.

    Beijos e minha total admiração!

    PS:Ficaria honrada com um texto teu la no Esconderijo, se quiser me fazer feliz..egpmb@terra.com.br Como voce não tem foto ou imagem escolheria uma bem linda, rss e aí??

    Beijos again



    "

    ResponderExcluir
  22. Que intensidade, que ímpeto!
    E ainda dizem que a palavra não tem força. Só não tem mais força do que o amor.
    Adoro as músicas que te inspiram, adoro o que você escreve.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  23. Azul, Jaya. Eis uma cor que resume um amor como esse. Paz, serenidade, tranquilidade, harmonia e equilíbrio num só tom pastel. A forma como os fatos acontecem e não são necessariamente problemas. A rotina, a tal convivência que nos ensinam desde garotinhas ser difícil, as expectativas, as perspectivas, as certezas. Os sonhos parecem que só podem ser sonhados em par. Os lugares têm mais luz e o sorvete mais sabor quando aquele menino (aquele que escolhemos e que nos escolheu) está ao nosso lado, rindo porque o chocolate melou nosso queixo. O amor tem cheiro, som, toque. É sensível e cheio de força. É paradoxo. É constante. "... o amor é a única coisa que você não pode deixar para trás...".

    Amei seu texto e o seu comentário.

    Beijooos!

    ResponderExcluir
  24. olha lá,como se nunca tivesse deixado a gente a ver poeira, anciosos de medo de você não voltar e torcendo pra esse dia chegar mais cedo do que nunca, ela volta e do mesmo jeito que foi, arrancando todos os suspiros que a gente tinha guardado. nos fazendo contar os dias com tracinhos como presidiários na cadeia pra que esse amor também aconteça com a gente, e rápido. não da mais pra aguentar não sentir isso. porque taí, escancarado, é lindo!

    enquanto não chega faço da tua felicifade minha, vendo esse filme inteiro passar na minha cabeça.

    pra vocês todo amor do mundo. pra nós!

    beijos num pequeno pedaço desse coração cheio de amor
    da pra perceber, todo mundo aí em cima gosta mto de vc

    geo.

    ResponderExcluir
  25. Você me deixa 'coraçãoaberto', Jóia!


    Estou sempre aqui ;)

    ResponderExcluir
  26. Eu não disse que você voltaria triunfante?

    ResponderExcluir
  27. Jaya;

    E hoje venho matar a saudade das suas palavras doces. Belíssimo como sempre.

    E são esses "probleminhas" que adoçam a nossa vida, que nos dão ânimo, vontade de sair distribuindo sorrisos.

    Te beijo.

    ResponderExcluir
  28. Sua ri-dí-cu-la!

    Prontofalei!

    Rum!


    [kkkkkkkk]

    ResponderExcluir
  29. O problema...

    é que você é a MAIS piriguete de Conquista e fica ai falando dos outros.

    Prontofalei²!


    [kkkkkkkkk]

    Amotu.

    ResponderExcluir
  30. O problema é quando nada disso acontece. Ou quando se espera tão anciosamente que aconteça. (me caso)

    Adorei, adoro sempre.
    Sou fã das suas palavras. Assumida :D

    Que bom tê-la de volta..

    ResponderExcluir
  31. Jaya querida, hoje estou com essa música do Nando que te inspirou, na cabeça. rs
    Precisava falar. hahaha

    beijo, beijo.

    ResponderExcluir
  32. Isso tudo, não parece ser problema aos meus olhos.
    Aliás, quero problemas desses pra mim. :)

    Sempre bom voltar a ler suas doces palavras, Jaya.

    Pronto, vou recolher os cartazes de 'procura-se' que espalhei por aí. HIHI

    Beijos meus, linda. :*

    ResponderExcluir
  33. O problema...

    ... é que eu preciso esquecer essa história toda e não consigo. Já viu o filme "Como perder um homem em 10 dias"? Então, resolvi escrever o roteiro pro filme "Como ESQUECER um homem em 10 dias", pq tá tãããão dificil!

    E você, ao invés de me trazer pra realidade, fica ai achando tudo lindo! Ah nem viu!! hahahaha.

    Aparece. Tenho que te contar uma coisa. hohoho.

    Bejomeligasempre!

    Amotu.

    ResponderExcluir
  34. O problema é que amor é a coisa mais linda que alguem já poderia ter inventado.

    E o problema é: resolveu dar as caras no meu blog é? hahahahah És bem vinda, apareça quando quiser!

    bessos!
    ;)

    ResponderExcluir
  35. menina, nem sei te dizer, o problema é que eu gosto demais de te ler/ouvir... Traduz, atravessa, preenche com palavras esse mundo tão teu, mas tão de todos!

    Liiiiiiiiiiindo!!!

    O problema é tantas soluções num só ser, o problema é não perder a lente de contato, aquela q faz a gente ver/sentir tudo isso...

    **Quero andar de mãos dadas, quero dizer besteiras, quero seções de amor-filmes-poesia-pipoca-pirraças-e-beijos, tudo isso, que é pra alimentar o meu bichinho-poeta, que nem o teu!**

    Beijo, linda!

    ResponderExcluir
  36. Jaya,

    Moça,

    Vim te ler ..

    Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.(Cora Coralina)

    Beijos meus

    ResponderExcluir
  37. Amor.

    É apenas...

    e não pouco.

    Você me faz feliz.
    Essas palavras me fazem feliz.

    Jamais esqueço do quanto tu expira sentimento escrevendo. És uma pessoa das quais mais admiro.


    --

    Jaya, desculpe a ausência, embora cê saiba porque fiquei tão enfiado dentro do meu mundo esses meses. Conclui meu tcc. E agora voltei a blogar.

    Acho que foi bom. Quero testar minha inspiração rs

    Conto com a sua presença por lá no meu blog. Recomeçar já é difícil,
    sem os amigos que amo por lá seria muito mais.

    Te adoro Jaya.
    Beijo meu.

    ResponderExcluir
  38. Lindo. Eu senti cada palavra tua. E eu acho que estou também com grande parte desses problemas.

    Beijo, Flor!

    ResponderExcluir
  39. Problemas = inequações da órbita em noventa graus invertidos pelo coração.


    Bom te ler novamente, mesmo
    =*

    ResponderExcluir
  40. Você é uma avalanche, Jaya. É tão agridoce, que mistura um doce-salgado sem fim (e que bom que não tem fim).

    Eu fico aqui na expectativa, e quando acho que não há mais nada seu que me surpreenda, você vai lá e me deixa ainda mais extasiada. É sério: Entro em puro êxtase.

    Teus textos capturam imagens. E é muito fácil desenhar as cenas na imaginação. Ensina a ser assim também?


    Você é linda-demais-da-conta!

    Um beijo com gostinho de saudades!
    E de desculpas também: A vida, espero, está voltando ao normal.

    Adoro-te!

    Um beijo dessa paulistana aqui!

    ResponderExcluir
  41. Me perco aqui fácil...

    É fechar as pálpebras e ver passar toda essa história que vc descreve super bem...

    Desculpa a ausência?

    Vou ter que ler os post anteriores pra ver o que perdi. ^^

    Bjs e td de bom!

    ResponderExcluir
  42. o problema é que você demorou tanto pra voltar, que eu parei de vir aqui olhar;
    o problema é que você voltou e não avisou; só chegou;
    o problema é que eu tô chateada.

    *batendo o pé feito uma adolescente birrenta, sardenta e superhipermegafã do McFly* -n

    ResponderExcluir
  43. Jaya, é ler você e me apaixonar outra vez...

    ResponderExcluir
  44. É muito amô!


    Lindíssimo! Não consigo nem pensar em algo melhor para escrever aqui.




    Beijos
    =***

    ResponderExcluir
  45. Moça,
    Que venha 2010 pois meus dias serão de conquistas não mais de lutas!
    Viver também cansa! Mas precisamos fazer diferente pra ter a diferença.
    Cada momento é necessário, seja ele bom ou ruim. É preciso mergulhar no horizonte sem direção exata, como fazem os pássaros. É preciso sonhar, desejar e crer. É preciso que exista no fundo da alma uma felicidade cheia de vigor e verdadeira que faça transparecer com toda força em cada atitude nossa tomada.
    Tenho dentro do peito, um amor que é distribuído de graça a todos aqueles que fazem parte da minha história (e às vezes o que vão fazer). Tenho no peito uma ternura que foge dos dicionários. Creio na esperança dos que nascem, na vivacidade da juventude, na sabedoria dos mais velhos. Creio no poder da verdade e na falência da mentira. Creio na minha evolução como ser humano á partir dos meus erros cometidos, na persistência das pessoas a favor de uma ideologia. Creio no caráter do ser humano como sinal de esperança. Acredito numa felicidade que, só é completa se construída todos os dias e compartilhada e que a humildade pode nos levar a grandeza. Quase sempre leva...
    Não acredito no juízo final e sim que, ele exista e esteja acontecendo todos os dias. Creio no desaparecimento do preconceito, na vitória, e na idéia de que somos todos uma aquarela.
    Sou feliz porque existo e tenho em mim todos os sonhos do mundo. Creio na VIDA e no AMOR. Acredito em você!
    Obrigada pela diferença que voce fez na minha vida esse ano, Valeu a pena!
    Feliz Natal!

    Beijos no teu ♥

    ResponderExcluir
  46. Q fantástico tudo q dizes, acalma meu coração apaixonado e apaixonante por minutos de uma maneira que, meu deus, não estou só no mundo, esse coração não é o único com o defeito (ou será luxo) de amar... ao menos vejo doçura e esperança em seus passos... nem sempre há isso nos meus. Bom te ler... [http://estoupensandomedespindodepreconceitos.blogspot.com/2009/12/breves-e-carcaca.html]

    ResponderExcluir
  47. ..rsrsrs

    Viu, tem resposta pra vc lá no blog! =P

    Encrenqueira poo, até com o video! ¬¬
    hahahaha

    bessos Jaya Maria.

    ResponderExcluir
  48. Não preciso comentar como mais esse texto é lindo....

    O problema para mim é que eu queria, queria muito sentir tudo isso...


    Beeijos!

    ResponderExcluir