Uniforme.

00:49

Tudo começa
do mesmo jeito
diferente

[Alice Ruiz]

Às vezes é sem querer. Você chega quando alguém já está. Você sobe as escadas e joga o coração dali, pelo prazer em vê-lo cair. No fundo, a esperança é sentir alguma coisa. Qualquer coisa.

Você não me conhece. Não sabe que escrevi uma carta de seis páginas, ainda ontem, contando os mais miúdos detalhes daquilo que suponho estar acontecendo. Do lado de dentro, do lado de fora. Não tenho conseguido fundir. Não sou uma só. Nunca fui.

Preciso comprar mais livros, conhecer músicas novas, trocar as fotos do mural, ir à praia, amar Ilhéus de perto, colocar uma flor na minha estante. E, quando deito, preciso de você na minha cama, me beijando a testa, segurando minhas mãos. Sei lá. Poesia. E aquela coisa de me esquentar a nuca para que eu ande feliz, em meio aos casais de porcelana que enfeitam a rua. Amor não se toca, é para ser ouvido.

Tenho fases de desespero. Quando é quarta-feira, no meu céu só tem estrelas e eu tropeço buscando o sol. No cinema eu como chocolates, não pipoca. E se você aparecesse eu te tomaria pelas mãos e sairia por aí, asfaltando a cidade inteira com nossas historinhas. Eu penso que eu só preciso saber que você está. Mas não te convido.

Não sei quanto dura. Não sei até quando vou ignorar teus sorrisos que se quebram diante da minha seriedade. Não sei até quando teus olhos tristes vão permanecer em cima dos meus. Sei menos ainda para onde você vai levar minhas vontades, a cada vez for embora. Mas queria saber se meus braços podem se encaixar aos teus e se nossas pernas preferem o mesmo caminho. É o começar.

Daqui, eu imagino que você tenha uma queda pelo francês. Imagino que abra um conhaque, nessas noites frias, para catar palavras. Da minha boca derramam-se sacanagens que já foram de outros caras. E que provavelmente serão tuas. Antes de tocar o papel, pensei em começar dizendo que aprenderia a tocar piano só para te esperar. Prefiro violão.

Sou daquelas garotas que sofrem. Que esperneiam em busca de um abraço, assim, do tamanho do teu, com um sussurro contido dizendo que está tudo bem. E acreditam no amor. Uma garota que, hoje, quis adivinhar as medidas do que desconhece. Com coragem para ir embora. Com impulsos, cabelos curtos, unhas pretas e possibilidades. Você só precisa me fazer rir. Ou estampar qualquer coisa de mim num cantinho escondido teu.

Te documento enquanto você me atualiza. Você-novidade. Tiro o salto quase nunca usado, me molho na chuva, a bebida queima, te procuro na esquina. Levei todos esses parágrafos para contar do que não pode ser lido. Do que ninguém iria entender. Amanhã vejo uma coisa linda na rua, em meio à neblina, e me lembro de você. Anônimo. Basta meus olhos cheios da tua presença, por esses dias.

Paris, cigarros displicentes. Palavras inventadas. Acontece que vai ver eu já esteja entregue. Something vai se arrastando como trilha sonora. E você poderia vir. Me beijar devagarzinho, bagunçar meus cabelos enquanto faz um afago manso, me vestir de você, grudar teu cheiro em minhas mãos, usar algum elogio abusado e escrever ali, naquilo que chamam de alma, toda essa sua eficácia em me amanhecer.

É diferente. Eu sou igual a todo mundo. E sinto. Sintosintosinto.

Você.

You Might Also Like

37 comentários

  1. Tu é feita de poesia, amora. Tenho, cada vez mais, certeza disso. Só exala coisas lindas. E o resultado tá aí, ó! Textos perfeitos, que fazem meus olhinhos brilharem de emoção. *-*

    Tu é luz. E sabe.

    Todos os sorrisos do mundo pra você, meu bem!

    ResponderExcluir
  2. Sempre quando te leio a sensação que vem é dessa espera incessante deste "Você" com que você, Jaya, tanto fala; pra quem teu eu-lírico imerso parágrafos se declara. Aliás, sempre me esqueço de separar (deveria?) você de teus eus-líricos. O fato é que eles estão em você. E o fato também é que eles têm esse poder fascinante de me tocar enquanto te leio. Nesse toque, inegável é a impressão de uma constante espera de alguém que vai te amar inteira, de cabo a rabo, que vai fazer sua poesia virar tijolos (isso, concreta mesmo!) pra depois se sublimar em ar. Ar repleto de perfume, tal qual é você, suas palavras, e você de novo. Por isso eu torço pelo fim dessa espera bonita (não sei se sua ou se do seu eu-lírico), mas torço sempre pela permanência da Poesia. A sua. Essa sim não pode morrer. Um beijo! E saudade.

    ResponderExcluir
  3. E pra quê se revelar? Permita-se perder nas entrelinhas, nos sussurros, nas neblinas. E sinta, sinta, sinta. All time.

    Beijo doce, Jaya encanto. *:
    [parece algo tipo: amor-novo]

    ResponderExcluir
  4. Ai Meu Deus!!

    Tú tens um brilho tão intenso que reflete por todo seu coração!!!

    Querida sentir é estar vivendo!!

    Um beijo!!

    Ps: As emoções por aqui são tão fortes!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi flor , saudades de passar por aqui ..
    " No fundo , a esperança é sentir alguma coisa. Qualquer coisa."

    Você tem toda a razão .

    Teu texto me deu uma vontade de sair correndo e viver mais . MUITO mais!

    um beijo.

    ResponderExcluir
  6. eu li o seu texto e fiquei com a impressão que eu ando tendo da minha vida: a melhor coisa do recomeço é, sem dúvidas, você relembrar que tem muita vida além do que você já conhece.
    e por isso essa ânsia linda de querer ler, saber, escutar. o que faz, com certeza, a vida pulsar.

    saudade de você, menina.
    tá tudo mudado, recomeçado, mas somos as mesmas, não?

    beijão

    ResponderExcluir
  7. Tava com saudades disso. Muitas saudades.


    Você é energia sempre.

    ResponderExcluir
  8. nossa!
    fiquei com o coração aos pulos ao ler isto aqui.
    lindo, beirando a perfeição...
    beijos

    ResponderExcluir
  9. lembrrei de PLURAL do Eliakin. lembra?
    Beijos
    ass: kalyua

    ResponderExcluir
  10. É coisa tão linda quando venho aqui, esse monte de sentimento misturado que embala, que embala, que embala...
    Bom demais entrar nesses mundinhos que você coloca aqui pra gente olhar da fechadura da tua alma.
    É lindo. E eu sintosintosinto. Tanto - enorme assim.

    Beijogiga, flor

    ResponderExcluir
  11. Tua bela escrita me faz imaginar você direitinho. Na varanda de tua casa transbordando num bloquinho de papel, essa coisa tão bonita que é toda sua.
    Talvez até bebendo café ou chá.
    Não sei, digo talvez.
    Isso que estou escrevendo pode até ser bobagem, mas... É que a imaginação flui diante de um texto tão repleto de... Sentimento.
    Teu e bonito!


    Beijos, doce Jaya.
    É sempre lindo te ler.

    ResponderExcluir
  12. Jayaaa,
    Eu fico chapada com o que você escreve...
    E, sempre cai como uma luva.
    Lebrei uma música da Marisa Monte, se não me engano: canto escondido.
    Ahhh, eu não posso te ler sempre. Dá vontade de voltar atrás, sair correndo e deixar Paris pra lá..rs

    SINTOSINTOSINTO

    Parabéns como sempre e mais uma vez!!!
    Beeeeijos!

    ResponderExcluir
  13. Jayaaaaaaaaaaaaaaaa!
    Que saudade de te ler!
    De tudo aquiiiii!
    Beijooooo!

    ResponderExcluir
  14. É Jaya Maria, eu te leio e fico instigado a ler mais. Com toda paixão que tu escreve, quem não fica encantado não é mesmo?

    Ah! E só pra fazer pirraça: Mano, eu sou chato mesmo, torço pra Argentina e quero eles na final, e ae?? kkkkkk

    ;)

    ResponderExcluir
  15. Sensualíssima Jaya




    Ainda vou aprender como tirar a roupa das palavras. As suas são como ciganas misteriosas que costumam ficar na curva de uma esquina lendo a sorte nas calçadas.

    Quem passa.
    Sempre para.


    Você tem um gosto bom.
    Exótico.

    ResponderExcluir
  16. Sempre tão bom te ler...

    Saudade, daquelas grandonas...

    ResponderExcluir
  17. me li em cada parágrafo..um dia a gente senta pra conversar e desvendar direitinho o por que de ser tão assim...


    o amor é grande demais e só cabe nos pequenos detalhes, no sussuro, em tão poucas 3 palavras duras de dizer...égua égua

    =)


    Flores.

    ResponderExcluir
  18. Amo demais vc... menina com a alma mais linda e colorida do nosso mundo blogueiro!

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. eita, tu é sempre e uniformemente encantada! E tão cheia de todas as cores, tão desse mundo e das estrelas!
    Resumindo: tu arrasa!! hehe


    Beijooo

    ResponderExcluir
  20. JAYA!

    Primeiro, senti aquelas nuvens nos olhos quando li seu comentário. Foi como um carinho, sabe? É tão bom saber que existe alguém que enxerga a gente assim. Queria te mandar flores hoje. Só pra ver seu sorriso e torcer pra que ele fosse como o meu, que saiu depois de te ler falando de mim e de você.

    Depois, ao chegar aqui, meu coração esquentou. Something é sacanagem! Jaya, você é PHODA!

    Te quero muito bem.
    Um beijo! :)

    ResponderExcluir
  21. Te ler me deixa mais leve. Sempre. Sinto demais, às vezes chega a doer, mas depois eu fico levinha. Sentir faz bem. Sempre faz.

    "É diferente. Eu sou igual a todo mundo. E sinto. Sintosintosinto.

    Você."
    Falou por mim.
    Um beijo, moça.

    ResponderExcluir
  22. ººº
    Ok... eu dou um abraço (apertado) vale?

    ResponderExcluir
  23. Ai meu Deus que lindo. Impossível destacar uma frase aí melhor, o texto está todo poético e flui perfeitamente. Amei do início ao fim. Tanto amor...

    Beijocas

    Líria

    ResponderExcluir
  24. Tããão colorido, aqui.
    Jaya pintando o mundo. O dela, pelo menos. (:


    :*

    ResponderExcluir
  25. Esse é o layout mais lindo que esse blog já teve. Porque foi feito com amor e aquarela. Da Lua. A minha. (:

    ResponderExcluir
  26. Own, que lay cute! Adoreeeeei! E o texto? Ah, quero comentar não. Ele tá perto do "Eu, você e a praça", meeeeu predileto!

    Besos, Chica!

    ResponderExcluir
  27. Jaya querida.

    O layout está lindo!
    Combina de um modo perfeito com tuas bonitas letras.

    Amei!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. Lindo demais esse texto aí... Comentei no blog da Alice. Nossa o layout do teu blog é um sonho lindo lindo lindo.

    Abraços
    Líria

    ResponderExcluir
  29. Que cara nova mais linda! Todo um conjunto de encantos.

    ResponderExcluir
  30. Jaya, minha querida.

    Desde os textos ao layout só vi perfeição - como sempre.
    Incrível sua descrição, pois consigo imaginar você fazendo cada ação, desde o fato de ir comprar livros até você tocando piano, rs.
    Eu sinto sua falta, todos os dias. É como se você o passarinho que eu jamais deixaria sair da gaiola. No bom sentido da frase, claro. rs

    Jamais soltarei da sua mão, minha querida.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  31. Que lindo Jaya.
    Você, assim como meu, nasceu com esse mal: esse mal de sentir amor, de ser entregue ao sentimento.
    E eu me entrego, me entrego meeeesmo! hauahuhahaa

    Beijo, adorei td novo.

    ResponderExcluir
  32. Sabe, não me canso de dizer que gosto demais da forma com que trabalha com as palavras! É como se vc não tivesse medo delas. Fico me perguntando se tem. Se tiver, uma coisa é certa: Sabe disfarçar!


    Um beijo =*

    ResponderExcluir
  33. ... e ela vive a me tirar desse mundo de cá... me leva nem sei pra onde... só sei que me coloca uns tantos sorrisos...

    obrigado Jaya!!

    um beijo

    ResponderExcluir