É de mágica.

11:14

Manda avisar que esse daqui
tem muito mais amor pra dar.


[É de lágrima - Marcelo Camelo]

Faz frio. Pés descalços, sentada no chão, incenso de jasmim. Aqui? Jazz. Não encontro escapismos e findo amarrando a fé ao lado da minha cama, levo comigo para todo canto. Juntei meia dúzia de esperanças e quis a presença de qualquer querubim pequenino cheinho de luz.

Meus olhos engavetando a umidade onde algumas dorzinhas navegam em par, meus poemas nunca escritos. É assim que resolvo acordar as palavras. Rituais de encanto, ventinho pela fresta da janela, meus cabelos voando. Deixa doer, bater os queixos, ter motivo. Minhas satisfações não aprenderam a bastar só para mim.

Hoje me telefonaram. A voz suave do outro lado se identificou e disse tá tudo bem? E eu chorei. As portas destravadas, a necessidade de separar as estantes internas. Pu-ri-fi-car. Tudo o que fala sobre leveza e azul deve ter caído lá atrás. Não encontro.

Abri meu recanto de carinhos e reli tantas cartas, tantas procuras, tantos tempos, tantas saudades. Leio tudo. Leio e saio catando com as pontinhas dos dedos qualquer coisa que me reponha. Me perdi, mas não me abandono. É preciso estar dentro de mim. Preciso me empurrar de volta. Tenho tanto medo de ver os dias passando enquanto fico.

Não tenho sido doce. É só que, ultimamente, nada completa. É meu retrato aflito, extenso, cheio de nós. Então eu escrevo. E escrevo tentando ficar mais leve, tentando me reiventar, tentando. Eu tento. Encolho. E tô aqui, sempre sorrindo. Sem compreender. Me envelopo e me distribuo. Foi assim que aprendi a chegar.

Um copo numa mão, uns absurdos na outra. Não chove. É cinza e não chove. Lembro das ruazinhas estreitas que passo e já não vejo toda essa sensibilidade cabendo no mundo. Meu lado de dentro precisa ser remendado. Sonho com coisas tão boas. Desejo tanto bem. Desejo um bem, para mim.

Decidida, sugiro chuva. Um banho de chuva, um grito na chuva, porque depois que cai o céu, o mergulho é na vida. E arco-íris. Ah, e como tenho procurado um arco-íris! Uma recompensa. Uma aquarela. Lápis e papel. Desenho ou palavra. Não levo nada. E vou. Tentando, apesar de um tanto despetalada, dobrar a vida em flor, como diz a música.

A parte bonita do dia foi quando caiu um cílio na minha bochecha. Vejo palavrinhas mansas em cada um. E às vezes é assim, uma pestana foge e desafina tudo. Hoje, caiu um cílio meu. Desafinei. Vi pelo espelho, tirei com delicadeza e soprei. O moço olhou de longe, sorriu. Miúda e de bochechas coradas, retribuí.

Eu sempre sorrio, repito. Não precisa ter nexo. Ir, parar. Falta de ação. Talvez cor. Coração eu tenho. Tenho tanto que quase aceito sê-lo. Vai ver é isso. Que amanhã, depois e sempre, eu seja.

É tanto amor para amar - disse tão bem dito o poeta.

You Might Also Like

39 comentários

  1. E pra dar, também.
    Daqui, eu sempre levo um pouco pra mim.



    :*

    ResponderExcluir
  2. Que teu arco-íris venha logo.

    É tanto amor nas letras que guardo uma pouco aqui comigo.

    Beijo doce, Jaya bonita.

    ResponderExcluir
  3. Jaya, o bem que tu me fez não tem ideia! Precisava ler coisas doces misturadas ao desespero sutil, desamparo amparado.

    Um beijo pra você.

    ResponderExcluir
  4. Jaya,

    adorei o ambiente rosa. Adorei! Ficou lindo demais.

    Mas por dentro de você, esse cinza. Tão sem graça, né? Mas às vezes tem que ser assim, pra quando colorir, a gente sorri de verdade.

    Te adoro, menina!

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Esse texto doce e leve, cheio de vontade de amor, tá combinando tão bonito com o layout novo.

    Lindeza, Jaya!

    Beijoca

    ResponderExcluir
  6. ..rs Doce.

    Quando somos feito de amor, tudo é mais bonito. Até o cílio que caí..rs

    Muito bom, bom, bom Jaya Maria. Que continue assim sendo coração todos os dias.

    Agora vamo falar de uma firmeza. Ficou bacana o layout novo heim? Gayzinho mas bacana, mano! Gostei muito.

    Viu e agora? E sem Argentina, como faremos? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    besso.

    ResponderExcluir
  7. Jaya, ler-te é essencial! Eu já estava sentindo falta!

    Sumi porque andava enjoada, vomitando e com tonturas umas 20h por dia! Mas agora esse tempo se reduziu a 2 horas e nada mais! Voltei... e em dose dupla! Há!!!

    Desejo que esse arco-íris se pinte em sua frente quando menos esperar! E que você possa amar e se surpreender com o tamanho de um amor que nem em seus sonhos, você poderia imaginar!

    Um beijo grande!

    ResponderExcluir
  8. Borandá Jaya...

    O estradão que dá que pra'quele rio é comprido e margeado de bonina. Na hora que a gente chegar eu vou pinchar você na água. Mas oh, não me joga tb não viu.


    Eu ainda não aprendi a nadar.




    Beijo de flor com sonho...

    ResponderExcluir
  9. Jaya,
    Sabe que sou sua fã de-cla-ra-da!
    Mas, sempre me surpreendo...
    Nessas horas em que a nossa reta paralela se torna perpendicular, nos ensinam a cultivar coisas ruins, ou pior, deixar pra lá...
    Ler coisas assim, inspira a não desistir de ver as cores, as coisas tão lindas que tem por aí.
    Mesmo se dói e o "céu desaba", é lindo né?!

    Então, bora mergulhar nesse mundão que é "tanto amor pra amar".

    E, como diz a mãe: o que é do homem o bicho não come.

    mts bjos lindíssima!

    ResponderExcluir
  10. Bem, não é a primeira vez que digo que sua escrita me encanta. Ela é 'aconchegante', realmente gostoso de se ler. Sobre esse texto só tenho a falar que gostei dele de uma forma especial. Adoro textos que falam diretamente sobre pensamentos sem obedecer a certos paradigmas do que se deve ou não escrever, muitas vezes até perdendo um pouco o nexo, porém ainda encantador.

    Ah, agora é miinha hora de agradecer pelo comentário educado, e sim, por favor, volte ao meu simples e humilde blog, ficarei lisonjeado. (:

    ResponderExcluir
  11. Você não faz ideia da importância de tuas palavras. Da alegria que surge aqui. Fico feliz de verdade em saber que minha escrita lhe traga algo tão bom.

    Com toda certeza lhe desculpo pela ausência, pois tua presença é sempre doce.
    Eu é que agradeço!

    Beijos Jaya bonita!

    ResponderExcluir
  12. Toda vez, me derreto inteira. E sinto uma raivinha da vida que te deixa guardada nesse tanto de amor que tu carrega. Devia ser fácil dar. Amar por amar, às vezes, machuca.


    Lindo de novo.
    Um beijo amada.

    ResponderExcluir
  13. E depois de tanto amor, ainda existe maneira de ficar sem vir aqui? Há outra maneira de transbordar o seu amor a não ser pelas palavras? Devem existir muitos e felizes são os que têm a sua companhia, minha querida.

    Fez-te presente bem fundo aqui, que chega espremeu.
    Um doce beijo, flor.

    ResponderExcluir
  14. Eu às vezes me acho tanto em você Jaya que dá até medo!
    Essa falta de sentido me toma de tal maneira que eu só sei amar.

    Linda você!

    ResponderExcluir
  15. Jaya,

    obrigada pelos comentários! Amei, como sempre.

    Eu e Drummond? Haha... amigos íntimos!

    Um abraço de urso em vc!
    :)

    ResponderExcluir
  16. Tenho dessas, quando me esqueço vou lá ler coisa passada pra ver se encontro o que perdi. também tenho esse encanto por cilios. Sei lá, são tão vontade propria. Tem vezes que até confio neles. acho até que dessa vez um deles me encheu de sorte.
    Toda vez que venho aqui fico assim, querendo inventar e acredita no que está escrito.
    beijoo jaya

    ResponderExcluir
  17. Fui sentindo suas palavras, me encantando em tantos trechos, quis destacar aqui os mais bonitos, mas me perdi quando a cada linha outra nova e linda poesia surgia.
    É suave te ler, é tranquilizador e tão bonito...
    Como disseram: você transborda amor em palavras. Lindo!

    Um beijo enorme, Jaya ;*

    ResponderExcluir
  18. Jaya, fique tão feliz com seu comentário doce, querido... e pude sentir seu abraço quentinho daqui! Saiba que esse carinho me fez muito bem. E o Feijão também está aqui agradecendo sua amizade e as tantas coisas boas que você nos desejou desde já! Obrigada mesmo!

    Essa frase é lindíssima! Serei mãe pra sempre! Sempre... e é bom demais sentir-se completa assim! :)

    Um beijo grande, querida!
    E boa noite!

    ResponderExcluir
  19. É tanto amor para amar... pois é. Muitas vezes sinto que não caibo em mim. Daí escrevo pra ficar mais leve, e tentar, sempre tentar.
    Ah, moça bonita... suas palavras sempre falando por mim.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  20. coisa mais linda está isso aqui :)
    que ilustração mais doce.


    ah, Vitória é friooooo demais.
    estou pensando se vou para aí em Outubro.

    nada certo... vou vê isso ainda.

    vizinhas? sim :) a poesia nos liga.

    beijo minha flor.

    ResponderExcluir
  21. ah mulher... tão menina nas suas vontades que chega a ser desaforo, tamanha a pirraça da vida e desses arco íris que a gente nunca acha. será que tem pote de outo no final? aliás, onde é o final, porque eu nunca soube onde era o começo.

    "não tenho sido doce. é só que, ultimamente, nada completa."

    eu também tenho sido assim ultimamente.

    como sempre, é sempre bom aqui.

    :*

    ResponderExcluir
  22. Minha querida e amada Jaya!
    Obrigada pelo carinho!
    Vc me inspira...

    Senti seu abraço, querida

    bjos

    ResponderExcluir
  23. É tanto pra se dizer, e já foi dito, que eu sinto ser pouco.
    Não me parece ser um bom momento pra você, Jaya. E ainda assim, consegue ser inspiradora, maravilhosa, em palavras.

    COISA LINDA!!

    É, muito amor...

    ResponderExcluir
  24. putamerda, Jaya... porque tu sempre faz isso comigo?
    Meu, é inexplicável o que sinto ao te ler... me identifico, sinto reviravoltas no estômago e vontade de ser, ainda mais, coração e poesia.

    É tanto amor para amar e tanta vida para viver, que parece que a gente não vai conseguir, apesar de ter muita vontade. Me sinto meio assim, com vontad e de ser só coração, mais do que já tenho sido.

    Muito lindo o texto.
    Beijão, Jayaaammm!

    ResponderExcluir
  25. Como foi inebriante teu texto...
    Amei!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  26. O engraçado é que sempre que lembro teu nome, com todo lirismo, eu juro, juro que sopro beijinhos das minhas mãos.
    Quase que peço teu endereço.

    :*

    ResponderExcluir
  27. Que lindo texto, tão lírico, tão intenso nesse pesar. Gostei desde a citação do Camelo até a frase final que ficou um arraso... "É tanto amor para amar", dá vontade de mandar a frase em sms pra um alguém especial. Não tenha dúvidas de que você chega, envelopando, distribuindo, desabafando fica mais leve...


    Beijinhos e arco-íris pra vc
    Seja coração!
    Líria

    ResponderExcluir
  28. Que saudade que eu tava de te ler, moça linda. Fico doida pra escrever de novo, mas estou muito indisplinada com isso..

    Saudades de você também. Dos nossos encontros e desencontros.

    Beijos,

    Moni

    ResponderExcluir
  29. Voce é capaz de jogar centenas de confetes coloridos no meu coração. Escrevendo ou não é assim. Mas a sua escrita sempre vai ser um porto seguro pra mim.

    Meu Deus Jaya. Eu precisava ler uma coisa assim. É incrível a maneira que tu consegue pra traduzir sentimentos tão lindos em palavras. Eu fico aqui lendo e relendo, e percebendo a cada leitura uma coisa nova. Uma coisa dessas que fica cativa dentro da gente, como que pontinhas de luzes bailando dentro de nós e criando esse espetáculo que se forma na retina dos olhos, ou no infinito de um sorriso.

    O que tu nos coloca em profundidade, e que se aconchega no mais íntimo da gente é muito mais do que mágico, é transcendental. Eu confesso que há muito tempo sou incapaz de vir aqui e não me emocionar com todo texto seu. Não há excessões. E estou sendo a pessoa mais sincera do mundo.

    Talvez pelo tempo que que eu já te conheço, e por ter esse vínculo forte contigo é que eu me permita te entender melhor, como que se tivesse lendo ou escrevendo junto contigo. Eu sei lá, mas é como que se eu tivesse aí do teu lado, te acompanhando. A gente se sente perto. Eu me sinto próximo. Você nos deixa pertinho. Você socializa sentimentos com uma maestria inimaginável. É inconcebível não sentir isso.

    E você transporta pra esse texto a mesma beleza que você coloca nos outros. Uma sensação que parece instranspoível, a um dado momento, mas que após uns minutos se harmonizando com as palavras a gente vai se inserindo nesse te mundo tão repleto de doçura.

    Da minha parte é assim. E sempre foi. Desde o brincando de ser feliz. Desde lá fui aportando melhor nessa tua mansidão tão infindável, nessa tua maneira tão sensível e característica de abordar e explorar momentos, sensações, vidas, as pessoas, ou o ser humano que eside em ti.

    Vir aqui me traz luz. Você me traz luz Jaya. Você é importante. Para mim e para tantos. Suas palavras são assim, remédios para a nossa insônia, ou respostas para as nossas perguntas, ou anestésicos da nossa dor.

    O visual novo do blog tá fantástico. Tá suave, doce, tá de mãos dadas com o teu coração. E mesmo se fosse um pretão, ou um branco básicão (como antes). Você consegue encaixar textos belos como esse em qualquer espaço, assim tornando as letras a melhor paisagem do blog.


    Que bom. Tuas palavrasa gora me deram um conforto que eu sentia necessário. Ando confuso, e meio estabanado na minha rotina maluca que estou avoado. PRecisava de um elo assim como o teu. Uma palavra que me transportasse para um universo mais acolhedor e aprazível.

    Obrigado Jaya. Obrigado por ser tão importante na minha vida. Obrigado por transportar um pouco da sua alma (que eu encontro nas tuas palavras) pra mim.

    E não é drama, mas é que me emociono de verdade te lendo. Sempre foi assim.

    Desses quase cinco anos na blogosfera, você sem dúvida é uma das raras pessoas que tem uma significativa importância na minha vida, no meu crescimento como ser humano, e na evolução da minha escrita. Você sempre tão compreensível comigo me aturando e me suportando. rs Realmente é um desafio.

    Dos dois anos em que estive no meu novo blog, o ELOS, e pude renascer uma nova pessoa ali, você com certeza se encontra em cada pedacinho ali, e em cada frase escrita, assim como todos os outros que eu amo e guardo com especial afeto no coração.
    Todos me dão essa inspiração necessária pra viver. Você tem a sua cota. Nem menos, nem mais, e com a mesma importância.

    Sempre vou ser grato, por você ser uma dessas poucas que ainda mantém contato comigo, e que verdadeiramente faz parte da minha história.

    E você não seria alguém tão importante se não tivesse esse dom de cativar, de ser um pessoa que escreve e consegue tocar o coração das pessoas. Você transpõe qualquer barreira que algum coração tenha e entra nele espalhando esperança, alegria, amizade, e muita emoção.

    continua...

    ResponderExcluir
  30. continuação...


    É de mágica sim. Disso que necessitamos. E eu encontro muito aqui. E essa sua mágica é que tem força, para nos momentos de maior angústia, fabricar um sorriso no nosso rosto.

    Obrigado viu querida! Você é uma amiga muito importante pra mim. Sempre!

    Jaya Jaya...

    É de mágica...

    =)

    Deixo um beijo meu...
    e que ele voe cativo até a sua buchecha.

    E um super abraço...
    e que os braços voem de encontro a ti e possam transferir pra ti toda essa energia boa e positiva que rezo e torço pra ti sempre a cada minuto, pra toda a sua vida.

    _
    Alexandre.

    ResponderExcluir
  31. Só você pra conseguir expressar tudo isso em poucas linhas, fui longe e voltei... nem preciso fazer elogios, pq vc já sabe!

    ResponderExcluir
  32. a gente chora pra desafogar e sorri pra embonitar.

    linda o lay ;*
    beijuba ,baiana mais bonita.

    ResponderExcluir
  33. Como sempre moça, perfeito.
    O blog esta lindo.
    Saudades!
    Uma noite de luz e paz.
    Saudade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  34. Jaya, querida, faz tempo que eu não venho aqui, mas sempre que venho me arrependo de não ter vindo antes. Suas palavras simplesmente me encantam, e toda vez que te visito eu acabo por me sentir mais vivo, como se a vida fosse capaz de ser dita em palavras, como se todos os paradigmas da existência me surgissem para que eu pudesse pensar neles de forma tranquila e calma.

    Mais uma dentre muitas vezes eu te dou os parabéns pela sua escrita.

    Um grande abraço,
    Átila Siqueira.

    ResponderExcluir
  35. E tudo virá, e tudo haverá. Porque não há cor que te confunda, ou gosto que desfaça a beleza de tua acidez.

    É simples... teu coração é maior que a tua lei.

    Bjos mil.

    (sempre, sempre bom te ver...)

    ResponderExcluir
  36. ... feito passarim!

    você é fruto dos meus gritos mais opostos, meu suplício imaginado. e eu vou te amando em amor próprio, todos os dias, sempre, mas nunca como ontem.

    ah morena, se não fossem os apesares bestas! :*

    ResponderExcluir
  37. saudades de nossas conversas plissadas no tecido insone das noites.
    - ululavam!
    saudades das trocas, das aliterações usadas a esmo no msn...

    e por que mesmo sumiste?

    ResponderExcluir
  38. Que chegue um vento e sopre mansinho palavras doces para ti. Esse amor que descreves é tão leve que chego a sorrir daqui, moça.

    ResponderExcluir