ESCREVE.



Jaya Magalhães, eu.


Da Bahia.
Às vezes serra.
Às vezes mar.
Sempre azul.

Pela poesia.
Porque não sei desenhar.
Porque viro aquarela.
Para que os meus amigos possam me amar mais.
Para ver nas palavras espelhos de mim.
Para ser nas palavras o oposto de mim.
Para ser.

Escrevo, porque sou.