Ideia.

23:30

Fiquei apenas pensando que seu rosto
parece com as minhas ideias.

[Corpo de lama - Chico Science]

Eu quero me aninhar no teu peito, baby. Quero que você me conte bobagenzinhas enquanto escuto tua respiração. Quero sentir teu coração bater, ouvir tua risada, segurar tua mão por mais tempo, te entregar mais que dois sorrisos. Mais que um ruído. Eu quero espalhar beijinhos no teu rosto e passear, confusa, em você.

Quero te ligar no meio da noite e ficar em silêncio até conseguir dormir outra vez. Quero que você me abrace. Que você sempre me abrace. Que caminhe ao meu lado segurando no bolso de trás das minhas calças. Quero saber a frequência com que pisca os olhos e decorar o que te faz franzir o nariz.

Quero papos desconexos, propostas decentes e outras tantas avessas. Quero entrar no primeiro ônibus disponível e passar um dia inteiro num lugar onde sejamos estranhos. Quero te puxar pelos braços e que você recue para me pirraçar enquanto vai pintando poesia nos dentes. Quero que teu cruzar de pernas me inspire um texto e que você faça um carinho bom em minha nuca, me abraçando por trás enquanto me observa sentada ao computador.

Quero que você me veja chorando ao cortar cebolas e sempre cante a música de Caetano, só para me ouvir te chamar de previsível e debocharmos juntos das mesmices que são só nossas. Quero que não me diga que sou ciumenta e não se importe com minhas melancolias mensais.

Quero que a vodca tempere nossas brigas bobas, e que deitemos exaustos no colchão ali, no chão da sala, enquanto a vida corre do lado de fora da casa. Quero ver você dar risada da minha cara ao desistir de calcular o troco e que não se importe em ir ao cinema nos horários mais improváveis.

Quero que você se arrisque na cozinha só para me ouvir reclamar depois. Quero nossos beijos cítricos e tua língua tingida com o vermelho do que vai sempre arder em nós. Quero aquelas noites com a luz fraca, tua arte exata e minha busca imperfeita.

Quero que você aumente o som quando começar a tocar uma música que eu goste. Quero te telefonar ao me deparar com algo que se pareça contigo. Quero te ver fechar o jeans, te puxar de volta para a cama, te fazer vacilar, burlar resistências.

Quero pizza gelada enquanto te mostro meus filmes preferidos. Quero te fotografar até você arrancar a câmera das minhas mãos e fazer o mesmo comigo. Quero me rasgar aos pouquinhos para você, só para você. Quero que folheie um caderno meu e reclame porque não escrevo na linha. Porque não escrevo.

Quero entender quando dói e fazer parar de doer. Quero te adivinhar com meus lábios. Quero te projetar: você-filme. Quero espernear. Quero que você bagunce o quarto e te olharolharolhar com minhas pálpebras egoístas que te guardam só para mim. Quero todo esse medo de abri-las para não te deixar escapulir. Quero te achar ridículo enquanto escuto você cantar ao chuveiro. Quero colo.

Quero que você entenda minha euforia após o teatro. Que não se espante com minha sensibilidade. Que não sofra com minha insensibilidade. Que não soframos tanto, apesar das crises, raivinhas, impaciência e muita falta de sentido.

Quero você na minha parede verde. Quero pintar nossa parede. Te borrar a roupa. Tomar banho na chuva, rolar na areia da praia. Quero decifrar tua chegada pela maneira como toca o interfone. Te cantar músicas bregas, caminhar pela praça.

Não quero nada. Só preciso inventar uma palavra. Algo que te explique. E olhar para você mais um pouco, assim, sem querer.

É uma ideia.

You Might Also Like

32 comentários

  1. Ah, eu quis tanto isso.
    E não ter dá uma dor tão infinita, por saber que eu tive. Por saber que passou, se foi, e guardo agora, em dor.


    Beijo, Jayan.
    :*

    ResponderExcluir
  2. Coisa bonita de sentir hein Jaya?
    Aliás, bonito sentir você. Linda você. E essas palavras que facilmente poderiam ser minhas.
    Aliás, essa ideia que podia ter saído daqui.

    Tá linda, nossa mãe! =)

    ResponderExcluir
  3. É ma ótima idéia...
    Sabe tenho pensado em loucuras, justamente por sentir falta desse alguém que ficou atrás de mim no computador fazendo carinho na nuca...
    Mas, acho que boas idéias tem hora pra serem executadas. Minha hora ou passou, ou ficou pro ano que vem. rs.
    E, isso também não é ruim... só é, né?!
    Mas, te ler me dá realmente vontade de comprar uma passagem pra algum lugar grotesco e deixar a europra pra lá. Muito perigoso! hahaha
    muitos beijos Jaya!
    E, lindolindolindo demais!
    Acho que tao lindo por ser verossimil!

    ResponderExcluir
  4. ..rs

    Jaya..rs Eu quero isso todos os dias, com a sua amiga Japa..rs

    seu texto, me fez ficar sorridente, e parado, lendo por 2, 3x... e pensar que as coisas mais essenciais, estão nas mais simples da vida. Belo.

    saudades de vc, que anda sumida, não me critica e nem me xinga mais no blog! Carai, mano!..rsrs

    beso!

    ResponderExcluir
  5. São tantas sutilezas, o amor se torna ainda mais bonito.
    Ter tudo isso deve ser belo!

    Lindo te ler!

    Beijo doce, Jaya!

    ResponderExcluir
  6. sabe qual musica combina com isso aqui? essa:

    http://www.youtube.com/watch?v=7A5m6GfSPG8&feature=related

    eu não vou dizer qual é agora. vai lá pra ver. e também não vou dizer que toda vez que eu leio alguma coisa sua aqui eu lembro uma música. mas nem sempre digo. pq vc tem toda uma "escrivinhança" musicada, ritimada beibe. é que as vezes, "pánóisaquidiforadomundoseu" falta só a melodia, pq a letra a gente já ganha de você!

    sempre, sempre e sepre até o infinito, tudomuitolindo!

    ResponderExcluir
  7. É uma idéia linda.

    Amar é uma idéia maravilhosa, que deve ser colocada em prática já. Vamos amar muito? Vamos?

    E posso te dar outra idéia?
    Escreve um livro. E me manda de presente, autografado.

    Você transforma uma tarde sem graça em um começo de noite cheio de inspirações.

    Adoro ler você, sempre!

    Beijo. :)

    ResponderExcluir
  8. Ah, não deu pra segurar e meus olhos quase lacrimejaram.
    Quero muito do que está aí... quero continuar com o que já tenho e ter ainda mais, sou gulosa.

    Ficou muito, muito lindo mesmo, Jaya.
    Tu sempre me encanta quando escreve amor.

    Beijo grandão! x)

    ResponderExcluir
  9. Vc enxerga o belo. E isso, ninguém paga. A ideia é ótima e ninguém te rouba :)
    Um beijo =*

    ResponderExcluir
  10. (Eu tô com a cabeça latejando de dor, mas tinha que ler essa belezura!)

    Suas palavras sempre me encantam, Jaya-linda!
    Fico sem o que dizer, até. haha

    Beijos doces, amigue.

    ResponderExcluir
  11. Fico pensando: o que seria do nosso querer se não houvesse alguém a quem destiná-lo? Se não houvesse momentos dramáticos, combatendo a insipidez de uma paixão, o que seria do querer? O que seria, Jaya, se faltasse poesia nos olhos e na boca de alguém sedento por beber amor nos olhos de outro?
    Você agregou todas essas componentes, Jaya. Decifrou momentos tão sensíveis e, às vezes, tão efêmeros.
    Eu precisava ler algo assim.

    O que seria de mim sem seus textos, Jaya? Não suma mais. rs

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Ah Linda Jaya, essas letras são desenhadas com a doçura de sentimentos ternos...
    Tens a delicadeza da flor e escreves com esse amor que deixa os olhos marejarem... senti aqui toda essa idéia...

    Um beijo enorme!!!

    ResponderExcluir
  13. Tá. O seu texto me fez querer isso tudo aí e mais ainda. Como se o que eu sinto demasiadamente não me bastasse. Seus textos me preenchem, sabia? Deliciosamente.

    Mudando de pato pra ganso: você também gosta de Guns N' Roses, certo? Pois é. Dê um pulo lá no meu blog e veja se você compartilha de minha loucura. Aha.
    Um beijo, moça.

    ResponderExcluir
  14. E é sempre tão maravilhoso ler você que eu começo a querer desistir de fazer comentários por aqui. Acabou o que eu tenho a dizer.
    Sou fã! hahaha

    E quanto ao texto, bom... Você conseguiu dizer oq tento há meses no meu blog. Eu quero tudo isso daí, com umas coisas a mais, outras a menos. E eu já cheguei no fim da equação achando que por não ter um nome, uma definição.. eu quero é NADA. Eu invento demais.

    beijo grande, Jaya linda.

    ResponderExcluir
  15. Perfeito... fiquei feliz ao ler, obrigada.

    Copiei para meu blog de recortes, com os devidos créditos. =)

    ResponderExcluir
  16. .. que existe.

    (estou lendo Noite de Reis e a cada bobagenzinha a sua imagem me vem, lindo, linda)

    :*

    ResponderExcluir
  17. "Só preciso inventar uma palavra. Algo que te explique."

    Era isso. Bem isso.

    Lindo!

    ResponderExcluir
  18. É uma boa ideia, Neguinha. Aliás, uma booooooooooooooooooooa ideia.

    E eu espero. Posso mentir pro mundo inteiro, mas no fundo eu sei que eu espero.

    Espero que essa ideia apareça logo. Espero que duas ideias apareçam logo, pra você e pra mim. E que elas possam desenhar isso tudo em nossa vida.

    Hoje, acordei com sede de amor.

    E continuo mimimi. Por esse motivo, o comment molenga. Em outros tempos, tinha mandado essa poesia toda se lascar porque nada disso aconteceria na minha vida. AHAHAHA. Seria A revoltadinha. Mas hoje não. Hoje eu acredito.

    HOHOHO.

    Amotudemais!

    ResponderExcluir
  19. Jaya,

    Não é o primeiro texto que nos parecemos tanto. Me vi em cada linha. Foi como se você estivesse me vigiando pelo buraco da fechadura. rs (nem pra abrir a porta e me dar um abraço? haha)

    Lindas palavras, suspirantes. Como todas as outras.
    Estava com saudades daqui, muitas por sinal.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  20. PS: tem selinho pra ti no meu blog :)

    ResponderExcluir
  21. Lindo texto, Jaya! :)

    Despertou em mim um "querer" amar, para ontem...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  22. Não há como descrever o que sinto quando leio teus textos, costumo dizer que você não escreve pros olhos, escreve pra alma. Beijos.

    ResponderExcluir
  23. Jaya,
    que lindo! Não há nada que possa descrever melhor suas palavras. Amar é querer tanto, mas tanto e ao mesmo tempo é querer nada. Porque só o amor já é tanto, mas tanto que sabemos que mais nada merecemos dele.
    Eu queria assim, uma palavra que pudesse também descrevê-lo. Uma palavra só. Que fosse tão linda e insanamente impactante quanto os olhos dele. Mas não há. Então, eu imagino. Apenas imagino e crio uma ideia, como você. Vago por aí, porque o que eu quero eu já tenho: ele existe.

    meu beijo!

    ResponderExcluir
  24. Jaya, menina! que coisa boa de ler, idéias boas de ter, de viver, de sentir ... não canso te reler e relendo ter novas idéias inspiradas nas suas ... beijos da janela

    ResponderExcluir
  25. Que lindo, o amor é tudo em nossas vida ne!

    Amei o texto!


    bjos

    ResponderExcluir
  26. Jaya moça,

    Você é the best. Pena que me abandona, rsss



    Todos os anjos passeiam pela noite
    Soprando-lhe sonhos lindos
    Vigiando teu sono...
    E eles acariciam tua pele
    Pra curarem todo seu cansaço,
    Sussurram lhe palavras de coragem
    Pra te ajudarem a ter forças,
    Conduzem teus pensamentos
    Para planejar tuas tarefas...
    Jorram-lhe muita paz em tua alma
    Para enfrentar tua missão;
    E quando o dia nasce
    Eles adentram teu peito
    E ficam bem quietinhos
    Cuidando do teu coração.

    Beijos meus

    ResponderExcluir
  27. é. tem um tipo de entidade sim. e cara, eu quase mandei a do chico, juro. mas achei marisa mais excitante. acho que foi o batom dela que me chamou atenção.

    agora tem coisa nova sim.

    chêro.

    ResponderExcluir
  28. Encantei-me mais uma vez com suas palavras, minha escritora! E senti uma coisinha boa dentro do peito por perceber que eu também quero tudo isso e cada dia mais com o meu amor... :)

    Um beijo bem grande!

    ResponderExcluir
  29. Ah, esse acúmulo de quereres intensifica toda essa sintonia amorosa que existe dentro dessa essência doce do amar.

    A gente fica aqui meio que acompanhando com ternura o pacto que tu cria entre as palavras e o coração. Esse texto tem muito amor.
    Como igualmente o teu coração tem. E é isso que te torna uma pessoa especial, na maneira cativa de explorar sentimentos tão doces.

    Bonito essa trilha que tu faz, meio que encontrando os fragmentos mais ternos e encantadores que a vida te dá de presente. Amar é isso, é um interminável espiral de desejos, num afã apaziguado nas vontades de querer, de amar e de ser.

    Amor esse que você fascina.
    Amor esse que te fascina.

    Jaya que nos fascina.

    É uma ideia.

    =)

    Beijos doces.

    Do sempre e querido amigo,
    Alexandre.

    ResponderExcluir
  30. VC escreve muito bem! Estou apaixonada por seus textos!

    ResponderExcluir